Além da componente cultural, o Grémio Literário é igualmente conhecido pela atenção que tem dedicado à gastronomia, numa interligação bem conseguida entre o prazer da mesa e a cultura.

Pelo Grémio Literário passaram os maiores chefes cozinheiros franceses, como René Lassere, Troisgros, Raymond Oliver, Gaston Lenotre, Pierre Laporte, Hacberlin, Roger Vergé e Louis Outhier. Na noite de 30 de Junho de 1972, no Jardim e Varanda do Grémio, teve lugar o que a imprensa viria a classificar como “O Banquete do Século”.

O Grémio Literário oferece aos Sócios e respectivos convidados, um serviço de restauração diário de almoços e jantares, de 2ª e 6ª feira, baseado em duas ementas:

- A ementa dos “pratos do dia”, para os almoços, mensalmente reformulada em função da época do ano, e divulgada nas circulares mensais;

- A ementa fixa, tanto para os almoços, como para os jantares, constituída por um conjunto de “pratos” habituais, confeccionados no momento.

O Grémio Literário propõe também ementas completas apropriadas para festas e banquetes que podem ser realizados durante os dias úteis ou aos sábados, domingos e feriados, desde que marcadas com antecedência.