Boletim de Janeiro

21

de Janeiro, 2ª feira, pelas 19:00h Conferência “Fernão de Magalhães: Em torno do seu nascimento e da génese da sua grande viagem”

No âmbito das comemorações dos 500 anos da Viagem de Fernão de Magalhães, o Grémio Literário promove uma conferência, subordinado ao tema “Fernão de Magalhães: Em torno do seu nascimento e da génese da sua grande viagem”, sendo conferencista José Manuel Garcia.

De entre as grandes questões que envolvem Fernão de Magalhães encontram-se o apuramento do seu local de nascimento, que foi o Porto, e a origem do seu muito ambicioso projecto de viagem às Molucas por ocidente, que em 1518 apresentou em Valladolid a Carlos V. É sobre tais temáticas, que se prendem à noção de que ele foi o primeiro navegador a dar a volta ao mundo, que o conferencista vai apresentar novas perspectivas solidamente alicerçadas nas fontes conhecidas e na interpretação de factos.

José Manuel Garcia é doutorado em História pela Universidade do Porto e de entre as suas actividades destacam-se as que desenvolveu no âmbito da Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses e da Fundação Calouste Gulbenkian. É membro de diversas instituições com destaque para a Academia Portuguesa da História, a Academia de Marinha e o Instituto de História da Arte da Universidade Nova de Lisboa, e é investigador no Gabinete de Estudos Olisiponenses. No âmbito da sua actividade organizou numerosas exposições e congressos; editou catálogos, actas e obras de vários autores como José Leite de Vasconcelos, Alexandre Herculano, Virgínia Rau, Jaime Cortesão, Fernão Mendes Pinto e Fortunato de Almeida; proferiu numerosas conferências; e publicou numerosa bibliografia sobre temas relativos à História de Portugal, dos Descobrimentos e de Lisboa. De entre os últimos livros publicados podem assinalar-se: A viagem de Fernão de Magalhães e os Portugueses (2007); O livro de Francisco Rodrigues: o primeiro atlas do mundo moderno (2008); D. João II vs. Colombo (2011); A magnífica Torre de Belém (2014); Descobrimentos (9 volumes, 2015); O Terrível: a grande biografia de Afonso de Albuquerque (2017) e, mais recentemente, Fernão de Magalhães: nos quinhentos anos do início da grande viagem, acabada de editar pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda (2018).

A sessão será seguida de jantar ao preço de 30,00€, por pessoa.

24

de Janeiro, 5ª Feira, pelas 20:00h Jantar Debate Ciclo “Portugal: que País vai a votos?”

O próximo orador-convidado do novo ciclo de jantares-debate subordinado ao tema “Portugal: que País vai a votos?” é o embaixador António Martins da Cruz, um observador atento, persistente e ouvido da realidade portuguesa, que aceitou estar connosco.

A conferência está marcada para o próximo dia 24 de Janeiro na Sala da Biblioteca do Grémio Literário, dando continuidade à iniciativa lançada há cinco anos pelo CPI - Clube Português de Imprensa, em parceria com o CNC – Centro Nacional de Cultura e o próprio Grémio.

Político e diplomata, António Manuel de Mendonça Martins da Cruz nasceu a 28 de Dezembro de 1946, em Lisboa. Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa, fez ainda estudos de pós-graduação na Universidade de Genebra, na Suíça.

Aos 26 anos iniciou a sua carreira diplomática, tendo começado por trabalhar no Departamento de Organismos Económicos Internacionais. Dois anos depois, foi destacado para Moçambique, ainda antes da independência desta antiga colónia portuguesa, para organizar a instalação da Embaixada e dos Consulados Gerais de Portugal.

Acabou por permanecer em Moçambique depois da independência do país mas, entre 1976 e 1979, esteve destacado na Embaixada Portuguesa no Cairo, no Egipto. Findo este período de três anos, passou a ser o representante de Portugal junto das Nações Unidas em Genebra, na Suíça, função que desempenhou durante cinco anos.

Em 1984, Martins da Cruz regressou a Portugal para ser director do Departamento de Integração Europeia do Ministério dos Negócios Estrangeiros. No ano seguinte, tornou-se assessor diplomático do então primeiro-ministro Cavaco Silva. Ocupou o cargo até 1995, tendo tido oportunidade de conhecer personalidades da política internacional como Ronald Reagan, Mikhail Gorbachev, Margaret Thatcher ou Deng Xiaoping.

Martins da Cruz foi também embaixador de Portugal junto da NATO, em Bruxelas. Em Maio desse ano, tomou posse como embaixador em Espanha, cargo que viria a acumular com o de embaixador não residente em Andorra.

Manteve-se em funções até 2002, quando foi convidado a integrar o XV Governo Constitucional, liderado pelo social-democrata Durão Barroso. De Abril desse ano a Outubro do ano seguinte, esteve à frente do Ministério dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades Portuguesas.

Desligou-se recentemente do PSD, em ruptura aberta. Numa carta dirigida à direcção do partido foi frontal como é seu timbre, escrevendo estar "farto de aturar pacóvios", por não se rever na "prática política, na orientação nem no discurso exclusivo" da direcção de Rui Rio.

É com este desassombro que Martins da Cruz aceitou participar no actual ciclo de jantares-debate “Portugal: que País vai a votos?”. Uma oportunidade a não perder.

O preço do jantar é de 30,00€, por pessoa.

29

de Janeiro, 3ª Feira, pelas 19:15h Missa anual

Informamos os prezados Consócios que a missa por intensão dos Sócios falecidos, em 2018, vai ser celebrada na Basílica dos Mártires, Rua Garrett, no dia 29 de Janeiro pelas 19:15.

4

de Fevereiro, 2ª feira, pelas 19:00h Sessão de Homenagem a José Vianna da Motta 150 Anos do seu Nascimento (22.IV.1864 – 1.VII.1948)

No âmbito das comemorações dos 150 anos do nascimento da notável e impar personalidade que foi José Vianna da Motta, o Grémio Literário vai promover uma sessão de homenagem que constará de uma conferência a cargo de Elvira Archer, a que se seguirá um recital de piano, pelo jovem pianista João Costa Ferreira, com peças escritas pelo homenageado.

José Vianna da Motta, grande virtuose internacional, ainda muito novo impressionou com o seu talento D. Fernando II e, sobretudo, a Condessa d’Edla, que o auxiliaram nos seus estudos. Embora tenha sido um prestigiado divulgador da música alemã, também o foi, mundo fora, da música portuguesa. Este grande vulto da cultura, pianista, compositor, maestro e musicógrafo, exímio em todas estas valências, foi aplaudido por reis, imperadores, presidentes de vários países, nas primeiras salas dos vários continentes.

Elvira Archer, cantora lírica, é uma estudiosa de José Vianna da Motta, sobre quem vem publicando documentação vária, textos inéditos e proferindo lições. Anteriores conferências, investigações em Portugal e na Alemanha, têm classificado a artista como personalidade cultural destacada, no mundo da erudição e difusão musicais.

O pianista João Costa Ferreira vive actualmente e estuda em Paris, onde prepara tese de doutoramento sobre o tema “Ecritures, jeux pianistiques e interprétation dans l’ouvre de José Vianna da Motta”. No Museu Nacional de Música, Lisboa, dedicou um recital comemorativo a José Vianna da Motta (Abril, 2018).

A sessão será seguida de jantar ao preço de 30,00€, por pessoa.